Tantas vezes você falava da morte

Tantas vezes você falava da morte.

Muitas vezes você falou que estava falhando,


que estava se apagando.


Se chateava muito por perceber que não estava mais no seu completo desempenho.


Tantas vezes você falava da morte.


Em como ficaríamos, como seria nos deixar, como nó iriamos seguir sem ti...


E muitas vezes eu te falava:


"Não se preocupa, Pai! Esta tudo bem, estamos bem, tu já fizeste muito por nós!

Olha pra tua vida, tu perdeu o Pai com 08 anos e o que ele deixou pra ti?

Tu teve que construir tudo, lutar por todos teus irmãos e Mãe.

E construiu e conquistou tantas coisas! Por ti, por muitos e por nós!

Vive agora a vida que ainda e resta!

Faz o que tu gosta, come o que tu gosta, liga pra quem tu ama, olha pra tua neta, que tu achou que nem fosse conhecer, e que já conviveu contigo 4 anos.

Vive!

E para de se preocupar com o como vai ser..."


Tantas vezes você falava da morte.


E ela chegou para você.


Depois de 21 dias de uma luta incansável.


Você que era considerado frágil por nós, se mostrou tão forte, literalmente forte.


O seu dia de partir chegou.


E foi "lindamente" orquestrado pelo Universo.


Depois da Mãe ter sido internada por 04 dias,


depois de eu ter ficado 10 dias cuidando do Mano e da Mãe,


depois de eu ter ficado 02 dias com meu marido e filha,


depois de eu ter ficado mais 10 dias em isolamento.


Você partiu no dia que eu saí do meu isolamento.


Dia 26/01/21, acordei feliz que iria sair do quarto e abraçar Eva e Leo, tomei banho, saí do quarto e quando Eva sentou no meu colo e a Deise(tua afilhada que estava indo receber notícias tua)ligou.


Em um dia em que a Deise(prima) resolveu ir pela manhã saber notícias tuas. Ela já vinha fazendo isto diariamente, mas normalmente pela tarde.


Naquele dia, chegando lá, ela recebeu a notícia do médico, que você estava em processo de falecimento.


Ela me ligou e veio me buscar para que eu pudesse me despedir.


A médica liberou para que o familiar entrasse ao teu lado, pois por 18 dias só podíamos te ver através de um vidro.


A Mãe, primeiramente, não queria ir, mas no meio do caminho, decidiu que iria.


Fomos no ritmo em que consegui levar a Mãe, pois ela ainda está debilitada, por conta do Covid.


Chegamos na recepção da CTI e enquanto aguardávamos, a Mãe tremia dos pés a cabeça.


A recepcionista ligou para liberar a nossa entrada.


E assim que entramos, a médica veio na nossa direção e disse:


"Ele acabou de falecer, no minuto em que a recepcionista ligou pra avisar que vocês chegaram"


Tantas vezes você falava da morte...


Tantas vezes eu imaginei em como seria essa hora.


Eu queria ter estado no teu lado no exato momento da sua partida,


Mas o Universo (ou mesmo você) achou melhor estar "só".


Talvez até isso você tenha planejado, morrer 01 minuto antes de chegarmos, para nos poupar de estar ali na hora exata, ou porque talvez para você seria mais difícil essa partida.


Tantas vezes você falava da morte...


Um dia antes, eu havia feito uma chamada de vídeo com a psicóloga do hospital para poder te ver e falar contigo, pra você ouvir minha voz.


E eu falei: "Paizinho, é a Jana, tua filha.

To torcendo por ti!

Estamos muito orgulhosos da tua luta!

Pode ficar tranquilo, que estamos todos bem. A Mãe o Mano estão bem.

Não precisa se preocupar com nada, somente contigo. Eu te amo muito!

Deixa as meninas do hospital te cuidarem.

E estamos muito orgulhosos da tua luta!" (falei estas mesmas palavras umas 3x)


Você mexeu os ombros. Me ouviu, tenho certeza.

Tantas vezes você falava da morte...


Quando tudo se agravou, eu entreguei para o Universo e pedi que o melhor fosse feito.


Aceitei tudo que estava acontecendo, agradeci pela oportunidade de evoluir e confiei que o que tivesse de ser, seria.


E foi assim que o Universo orquestrou "lindamente" o dia da sua partida desse plano.


E agora, você está livre!


Livre de angustias que apertavam o teu peito(que tinha um coração remedado, porém forte)


livre do medo do futuro incontrolável,


livre da tua mente que não acompanhava mais tanta organização e planejamento,


livre do teu corpo, que te carregou por muitos anos, driblando a saúde, pra te manter vivo.


Você agora está livre e leve. Tenho certeza.


E nós, estamos aqui, seguindo tudo que você nos ensinou e nos orientou.


Eu choro, eu silencio. relembro tudo que aconteceu e agradeço.


Agradeço por termos tido a oportunidade de nos despedir de ti, mesmo que somente do corpo.


Pois em tempos de Pandemia, muitos não tem essa oportunidade.


Nós ficamos, eu e a Mãe, te tocando e rezando por ti, por uns 20/30min.

Toquei no teu peito e disse: "é um dia esse coração remendado iria parar.

Esse dia chegou. Descansa em paz e vai ser livre, voa bem alto!"


Você estava com uma expressão tranquila e serena, como em um sono profundo.


Agradeço pela Prima ter ido lá na hora certa e ter vindo nos buscar pra nos despedirmos de ti.


Agradeço pela tua resiliência.


Agradeço pela linda vida que você trilhou.


Agradeço pela tua luta incansável.


E agradeço por agora você estar livre!


Livre da morte que você tanto falava.